segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Cogumelos

Os cogumelos são estruturas macroscópicas produzidas por alguns fungos durante a reprodução sexuada, e que têm uma função semelhante aos frutos, ou seja, a produção, protecção e dispersão dos esporos.
Estas estruturas são bastante curiosas e misteriosas, porque surgem, normalmente, após grandes chuvadas e quando a temperatura é favorável, e desaparecem rapidamente.
Para além disso, apresentam diferentes formas, tamanhos, cores, cheiros e texturas, que irão favorecer o processo de dispersão dos esporos.
A dispersão dos esporos poderá ser feita pelos animais ou pelo vento. Os cogumelos vistosos, com cheiros fortes e sabores apetitosos atraem os animais, que os comem e transportam os esporos no interior ou exterior do corpo, e os cogumelos menos exuberantes, com formas mais simples, adaptam-se melhor a uma dispersão pelo vento.

-As fotos foram tiradas em: 3/12/2011 Algures no Planalto Mirandés.

-Obrigado ao Vítor Gamboa , pelos deliciosos "roques" que colhemos e pelo passeio fantástico!





terça-feira, 29 de novembro de 2011

I


Vindimai “vindimadeiras”,
As uvas deste vinhedo.
Por socalcos e ladeiras,
Cortai uvas das videiras,
Chora a “cepa” em segredo.

Acabaram as vindimas,
Já não volto a vindimar.
Vindimo saudades agora,
Que o tempo levou embora,
Depois da vindima acabar.

JoXavi


domingo, 11 de setembro de 2011

PARA LÁ DE MIM.


Para lá de mim!                                   

Quando o olhar se escoa,
Para lá da minha alma,
Chamam meus olhos os teus,
Para que eles sejam meus,
Ao fim de uma tarde calma.

Pelo mar de um olhar,
No espelho de uma fonte,
Leva-os uma canoa,
Como uma gaivota que voa,
Para lá do horizonte.

JoXavi

domingo, 17 de julho de 2011

Um dia...

Um dia,
Fecharei meus olhos
E passarei minhas mãos,
Pela tua face.
E depois,
Cerrarei ainda mais os olhos,
E passarei as mãos,
Muito suavemente pelos teus seios.
E depois….
Perder-me hei na imensidão do teu corpo.
Nesse dia...
Por fim,
Matarei as saudades
Da tua ausência e saciarei
A fome que tenho de ti!

JoXavi

segunda-feira, 27 de junho de 2011

O 7

O sete é um número que reúne as preferências de teóricos, críticos, filósofos, pintores e da própria opinião pública no momento de constituir diferentes listas.
O italiano Ricciotto Canudo, por exemplo, socorreu-se do número sete para, no ano de 1911, criar o “Manifesto das Sete Artes”, no qual constam a Música, a Pintura, a Escultura, a Literatura, a Coreografia e o Cinema. Também a Filosofia recorreu ao “sete” para listar as sete virtudes humanas: Esperança, Fortaleza, Prudência, Amor, Justiça, Temperança e Fé.

sábado, 25 de junho de 2011

"Não segueis o trigo verde, deixai-o amadurar...."

OLHARES

Por ser hoje

   Por ser hoje

   Hoje,
   Queria dar-te uma flor.
   Levar-te a passear…
   Onde se respiram sorrisos
   E serenos aromas.

   Hoje,
   Queria dar-te uma flor.
   Levar-te á terra …
   Onde se respiram cheiros,
   A urze e rosmaninho.

   Mas como,
   Se é do teu sorriso,
   Carregado de luz e cor,
   Que nascem flores?

                                                                                        JoXavi
Á Sofia, que tem o sorriso mais lindo do Mundo!

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Farol - Porto





                                         

Foz - Porto / Fim de tarde



R.(10)

- Não há repouso mais doce, do que aquele que se compra com o trabalho.
- A cólera começa pelo delírio e acaba pelo arrependimento.
- Mais fere a palavra, que a espada afiada.
- Aquele que aprende e sabe ler no rosto dos homens, raras vezes se engana.
- Assim como há flores para todas as estações, há prazeres para todas as idades.
- O que paga adiantado é servido de mau agrado.
- A esperança é o pão da pobreza.

domingo, 8 de maio de 2011

De luz

I

Os
Teus seios
Roçaram levemente
Meu peito
E
Meus olhos
Ficaram
Marejados de luz.

II

Roça teus seios no meu peito.
E os meus olhos ficarão de luz.
E beberás dessa luz,
E eu beberei de ti.
JoXavi

Forno - Sendim





sexta-feira, 29 de abril de 2011

Retrato


Vai á varanda e olha,
O sol no alto dançar,
É luz, é sombra lá fora,
Que a tua alma decora,
No segredo d'um olhar.
No gesto de uma mão,
Balança livre a imagem,
Pinto ruas de várias cores,
Casarios e amores,
No quadro... uma mensagem!
 JoXavi

Às vezes

Às vezes,
Não sei ler o que escrevo,
Quando escrevo com a mão,
Pensando cada palavra
Passo a passo.
Às vezes,
Não sei escrever o que penso,
Quando penso no que escrevo,
Lavrando cada palavra
Passo a passo.
Às vezes,
Não tenho uma folha em branco,
Quando queria escrever-me,
E escrever-te,
Passo a passo.
Queria escrever-te,
Apenas isso!
JoXavi

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

R.(9)

- Não vos queixeis dos vossos vizinhos. Os maus queixam-se de todos, Os bons de poucos e os melhores de ninguém.
- Convêm antes guardar um segredo, do que dá-lo a guardar.
- Trata as mulheres com os mesmos cuidados com que colhes as rosas.
- Um bom livro é uma excelente companhia.