domingo, 19 de setembro de 2010

Petroleiro

Foi no dia 29 de Janeiro de 1975, Por volta das 12:30, que se dá o maior acidente, tanto ambiental como humano, ao largo da Cidade do Porto. O Petroleiro Jacob Maersk, de bandeira Dinamarquesa, com cerca de 80.000 toneladas de petróleo vindo do Irão, encalhou em frente ao Castelo do Queijo. Momentos depois, incendeia-se, provocando uma violenta explosão, que partiu o navio em 3 partes. Em toda a cidade o ar tornou-se pesado e um cheiro estranho e quase irrespirável, invadia as ruas e as casas, tornando-se assim necessário, manter as portas e janelas fechadas. Durante 3 dias, o petroleiro esteve em chamas, que atingiram cerca de 100 metros de altura. A nuvem de fumo criada, foi visível a muitas dezenas de quilómetros. Nas semanas seguintes ao acidente, uma das partes do navio, foi-se deslocando até encalhar definitivamente, junto ao Forte, S. Francisco XavierCastelo do Queijo. Ali, permaneceu 20 anos, tornando-se um ícone, involuntário e temporário, da Cidade do Porto.

















Três amigos que viram uma das partes do Navio

Jo Xavi

1 comentário:

  1. Três amigos que testemunharam um acontecimento importante. Gostei de rever as roupas que se usavam naquela época

    ResponderEliminar